Escolha a opção:

23 fevereiro 2016


11 novembro 2015

Sugestão para leitura:

Human physiological responses to immersion into water of different temperatures.


RESUMO
(tradução livre)

Para diferenciar entre o efeito do frio (resfriamento) e da pressão hidrostática nas funções cardiovasculares e hormonais do individuo, um grupo de homens jovens foi examinado durante 1 h de imersões com cabeça-fora na água em diferentes temperaturas (32°C, 20ºC e 14°C ).
Imersão em água a 32°C não alterou a temperatura retal e a taxa metabólica, mas baixou a freqüência cardíaca (em 15%) e as pressões sanguíneas sistólica e diastólica (em 11%, ou 12%, respectivamente), em comparação com os controles à temperatura do ar ambiente. Atividade da renina, e concentrações de cortisol e aldosterona no plasma também reduziram (em 46%, 34%, e 17%, respectivamente), enquanto a diurese foi aumentada em 107%.
Imersão a 20°C induziu uma diminuição semelhante na atividade da renina plasmática, freqüência cardíaca e pressão arterial sistólica e diastólica como na imersão em termoneutralidade, apesar da temperatura retal reduzido e um aumento da taxa metabólica em 93%. As concentrações plasmáticas de cortisol tendem a diminuir, enquanto a concentração plasmática de aldosterona não foi alterada. A diurese foi aumentada em 89%. Não foram observadas diferenças significativas nas mudanças na diurese, atividade da renina plasmática e a concentração de aldosterona em comparação com indivíduos imersos a 32°C.
Imersão em água fria (14°C) reduziu a temperatura retal e aumentou a taxa metabólica (em 350%), freqüência cardíaca e pressão arterial sistólica e diastólica (5%, 7% e 8%, respectivamente). Noradrenalina e dopamina concentrações plasmáticas foram aumentados em 530% e 250%, respectivamente, enquanto a diurese aumentada em 163% (mais do que a 32°C). As concentrações plasmáticas da aldosterona aumentaram 23%. A atividade da renina plasmática foi reduzida como no decurso da imersão em água à temperatura mais elevada. As concentrações de cortisol tendem a diminuir. As concentrações plasmáticas de adrenalina permaneceram inalteradas. Mudanças na atividade da renina plasmática não foram relacionadas com alterações nas concentrações de aldosterona.
A imersão em água em diferentes temperaturas não aumentou as concentrações sanguíneas de cortisol. Não houve correlação entre as alterações na temperatura retal e as mudanças na produção hormonal. Os nossos dados suportam a hipótese de que as alterações fisiológicas induzidas por imersão em água são mediadas por mecanismos de controlo humoral, enquanto que as respostas induzidas pelo frio são principalmente devido a um aumento da atividade do sistema nervoso simpático.

09 novembro 2015

Sugestão de leitura:

Fonte:http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24769068

(Tradução livre)

OBJETIVO:
Investigar a eficácia de exercícios aquáticos no tratamento das condições músculo-esqueléticas.
FONTES DE DADOS:
Uma revisão sistemática foi conduzida usando as bases de dados Ovid MEDLINE, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature, Embase, e The Cochrane Central Register of Controlled Trials até maio de 2013.
SELEÇÃO DO ESTUDO:
Foram procurados os ensaios clínicos randomizados (RCTs) e quase-RCTs que avaliaram o efeito dos exercícios aquáticos para adultos com condições musculoesqueléticas em comparação com nenhum exercício ou exercício terrestre. Desfechos de interesse foram dor, função física e qualidade de vida. A busca eletrônica identificados 1.199 estudos em potencial. Destes, 1.136 estudos foram excluídos com base nos seus títulos e resumos. Mais 36 estudos foram excluídos após revisão de texto completo, e os restantes 26 estudos foram incluídos nesta revisão.
EXTRAÇÃO DE DADOS:
Dois revisores extraíram independentemente os dados demográficos e as características de intervenção dos estudos incluídos. Os dados dos resultados, incluindo escores médios e SDS, também foram extraídos.
SÍNTESE DOS DADOS:
A base de dados "Physiotherapy Evidence Database" (PEDro) identificou 20 estudos com alta qualidade metodológica (pontuação PEDro ≥6). Em comparação com nenhum exercício, os exercícios aquáticos alcançaram melhoras moderadas na dor, função física e qualidade de vida. Não foram observadas diferenças significativas entre os efeitos do exercício aquático e terrestre sobre a dor, função física ou qualidade de vida.
CONCLUSÕES:
A evidência sugere que exercícios aquáticos tem efeitos benéficos moderados sobre a dor, função física e qualidade de vida em adultos com condições musculoesqueléticas. Esses benefícios parecem comparáveis ​​entre condições e com os obtidos com o exercício terrestre. Mais pesquisas são necessárias para compreender as características de programas de exercícios aquáticos que fornecem o maior benefício.
Copyright © 2014 Congresso Americano de Medicina de Reabilitação. Publicado por Elsevier Inc. Todos os direitos reservados.

PALAVRAS-CHAVE:
Arthritis; Exercise; Hydrotherapy; Musculoskeletal diseases; Osteoarthritis; Rehabilitation

11 setembro 2014

Grupo de Trabalho de Fisioterapia Aquática do COFFITO

O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - COFFITO, publicou a Portaria No. 423, de 10 de junho de 2014, que designa os integrantes do Grupo de Trabalho de Fisioterapia Aquática do COFFITO, composto por Dr. Abdo Augusto Zeghbi, Dra. Elineth da Conceição da Silva Braga, Dra. Flávia Martinez, Dra. Lisiane Fabris Chiumento , Dr. João Douglas Gil e Dr. Rômulo Nolasco de Brito a fim de regulamentar a Especialidade de Fisioterapia Aquática no Brasil.



29 maio 2014

UFVJM tem novo setor de Fisioterapia Aquática

O Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri _ UFVJM, campus JK na cidade de Diamantina em Minas Gerais, inicia suas atividades no novo setor de Fisioterapia Aquática, dando mais um passo na demonstração de sua vocação de ensino e pesquisa na porção norte do Estado de Minas Gerais.








Pública, gratuita e de qualidade!

ABFA realiza o "I Congresso Brasileiro de Fisioterapia Aquática"


A ABFA promoverá nos dias 5, 6 e 7 de setembro de 2014, na cidade de Florianópolis-SC o I Congresso Brasileiro de Fisioterapia Aquática .
Maiores informações pelo e-mail contato@abfaquatica.com.br .

07 abril 2014

Mais um trabalho de exercícios na piscina realizado no Brasil:



Autores da Universidade Estadual Paulista e da Faculdade de Medicina de Botucatu.


Texto na íntegra:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3952867/pdf/1413-7852-aob-22-01-00025.pdf

Observação:
É notório neste caso um grave problema dos periódicos nacionais, onde o artigo foi enviado em 2010, aprovado em 2011 e somente publicado em 2014! A pesquisa necessita de maior agilidade na publicidade de seus achados!

28 março 2014

Simples e interessantíssimo: "slalom"

Slalom na piscina.

Uma atividade voltada para o controle da respiração e corporal, além da mobilidade de tronco e noção espacial das crianças.

Como nos grandes inventos: simplicidade e eficácia associadas!

Fonte: Kiefer.com

21 janeiro 2014

Mais do que evidenciado!

Revisão sistemática evidencia a eficácia superior dos exercícios aquáticos de membros inferiores no tratamento da osteartrite de joelho: redução da dor e melhora da funcionalidade!



Veja o artigo na íntegra aqui!

25 junho 2013

Informe da Associação Brasileira de Fisioterapia Aquática

Caro fisioterapeutas de MG,
O professor Rômulo Brito informou que efetuou o cadastro nacional de pessoa jurídica da associação:
CNPJ: 18.206.860.0001-41

E que agendou a próxima reunião:
Data: 28 de junho de 2013.
Cidade: Florianópolis - SC
Local: sede do CREFITO 10.
Hora: 14h.

03 junho 2013

Electromyographic responses during time get up and go test in water (wTUG)


Abstract

The aim of this study was to use sEMG to measure the neuromuscular activity during the TUG task in water, and compare this with the responses for the same task on land. Ten healthy subjects [5 males and 5 females [mean ± SD]: age, 22.0 ± 3.1 yr; body mass, 63.9 ± 17.2 kg. A telemetry EMG system was used on the following muscles on the right side of the body: the quadriceps – rectus femoris [RF], long head of the biceps femoris [BF], tibialis anterior [TA], gastrocnemius medialis [GM], soleus [SOL], rectus abdominis [RA] and erector spinae [ES]. Each subject performed the TUG test three times with five minutes recover between trials in water and on dry land. The % MVC was significantly different (p < 0.05) for majority of the muscles tested during the TUG water compared to dry land. % MVC of RF [p = 0.003, t = 4.07]; BF [p = 0.000, t = 6.8]; TA [p = 0.005, t = 5.9]; and SOL [p = 0.048, t = 1.98]; RA [p = 0.007, t = 3.45]; and ES [p = 0.004, t = 3.78]. The muscle activation of the trunk and the lower limb [VM RF, BF, TA, GM and SOL] were lower in water compared to dry land, when performing a TUG test.

Keywords: EMG, Aquatic, Time to up and go, Hydrotherapy




Artigo completo: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3657083

13 maio 2013

Brasileiros na "1 ª Conferência Europeia de Terapia Aquática Baseada em Evidências" (ECEBAT) na Turquia

No período de 21 a 23 de março de 2013 aconteceu a 1 ª Conferência Europeia de Terapia Aquática Baseada em Evidências (ECEBAT) em Izmir na Turquia, divulgada aqui em nossa página.

Esta Conferência reuniu 150 participantes de 30 países e contou com a presença de dez brasileiros. Segundo a fisioterapeuta mineira Giovana Macêdo Linhares este encontro proporcionou uma vasta troca de experiências através do seu abrangente programa científica que abordou diversas áreas como neurologia, pediatria, geriatria, músculo-esquelético, balneoterapia, lazer, educação e avaliação. 

O ECEBAT tem um papel importante para alavancar o desenvolvimento da Terapia Aquática e o próximo encontro já está marcado para 2015 em Leuven na Bélgica.

03 fevereiro 2013

29 novembro 2012

Que circuito!

Seria bem bacana este circuito, associando várias possibilidades de intervenções dentro e fora da água.
Logicamente fora da realidade da maioria de nós.
Mas não custa sonhar!
Minas Gerais tem muitos ambientes propícios pouco explorados.

Fonte:www.hellopro.fr

27 novembro 2012

III Congresso Brasileiro de Fisioterapia Aquática MAIO 2013

Encontramos a página do III Congresso Brasileiro de Fisioterapia Aquática, que ocorrerá em maio do próximo ano em Curitiba:

Cursos pré-congresso
1 à 3 de Maio de 2013
Congresso - Auditório
Sábado 4 de Maio
​Congresso - Piscina
Domingo 5 de Maio

Fundada a Associação Brasileira de Fisioterapia Aquática – ABFA


Fonte: www.crefito13.org.br

No dia 9 de junho de 2012, em Florianópolis, reuniram-se fisioterapeutas, de vários estados do Brasil, atuantes em fisioterapia aquática para formação da Associação Brasileira de Fisioterapia Aquática - ABFA. Além dos profissionais atuantes na área, fizeram-se presentes os Presidentes do CREFITO-1,CREFITO-3, CREFITO-8 e CREFITO-10, bem como representantes da AFB e CLAFK. Após discussão sobre a razão do encontro, em Assembléia, constituiu-se a Diretoria, assim organizada:
Dr. Rômulo Nolasco de Brito – SC – Presidente
Dr. Abdo Zeghbi – PR – Vice–Presidente
Dra. Sandra Jabour Wegner – RJ – Secretária
Dra. Lisiane Fabris Chiumento - SC – Tesoureira
Dra. Flávia Martinez - RS , Dr. João Douglas Gil - SP, Dra. Giovana Macedo Linhares - MG - Conselho Fiscal
Dr. Paulo Rogério Canova - SP, Ediane Roberta Fernandes – SC e Rita de Cássia Paula Souza - SC – Suplentes do Conselho Fiscal
Em breve, novas informações acerca do registro e futuros encaminhamentos e ações serão repassadas aos participantes, bem como àqueles que interessarem pela associação.

Nota também do CREFITO 8:
www.crefito8.org.br

Turbilhão + Bicicleta Aquática

A propaganda do produto é no mínimo engraçada.
Será que será futuramente uma moda nas academias e clínicas?
Pode ser!

Doença de Parkinson



No site da Associação Americana de Doença de Parkinson (www.youngparkinsons.org) você consegue baixar o PDF de um manual básico de orientações para Exercício Aquático: Um Programa de Exercício para Pessoas com Doença de Parkinson

06 agosto 2012

Curso em OUTUBRO_Fisioterapia Aquática: Uma abordagem musculoesquelética



Fisioterapia Aquática: uma abordagem musculoesquelética.
Período: 27 e 28 de outubro.
Carga horária: 16h | De 08:00 às 18:00 no sábado e de 08:00 às 14:00 no domingo.
Vagas disponíveis: 20 (a partir do 5° período).
Investimento: R$ 600,00 à vista ou R$ 660,00 em 3x.

Aquática Fisioterapia promove curso em SETEMBRO: Introdução à Fisioterapia Aquática

Introdução à Fisioterapia Aquática | Princípios físicos, efeitos fisiológicos e hidrocinesioterapia.
Ministrantes: Andréa Cristina Machado Pereira, Giovana Macêdo Linhares e Michelle Pires Pinto da Rocha.
Período: 15 e 16 de setembro.
Carga horária: 16h | De 08:00 às 18:00 no sábado e de 08:00 às 14:00 no domingo.
Vagas disponíveis: 20.
Investimento: R$ 410,00 à vista ou R$ 450,00 em 3x.
Mais informações: www.aquaticafisioterapia.com.br

21 junho 2012

Clínica de Fisioterapia Aquática em BH


Indicação da Fisioterapeuta Nayara Neves de Alcântara, onde faz atendimentos de Fisioterapia Aquática.
Informações: 31 3082-6876

Testamos o endereço eletrônico, mas não tivemos sucesso: www.dmrlinfoterapia.com.br

30 maio 2012

Data histórica para a F.A. de Minas Gerais

Na noite de hoje, 30 de maio de 2012, foi criada a Associação Mineira de Fisioterapia Aquática (AMFA).
Foram eleitos e tomaram posse os membros da diretoria e dos conselhos.

Data para ficar na história da Fisioterapia Aquática de Minas Gerais.

Em breve, assim que o estatuto for registrado em cartório, teremos informações detalhadas sobre esta associação, eventos e formulário para filiação.

Vida longa para a AMFA.

20 maio 2012

Convocação Assembléia Geral


Convocação

A comissão provisória para criação da Associação Mineira de Fisioterapia Aquática convida todos os fisioterapeutas do estado de Minas Gerais envolvidos com o tema para Assembleia Geral de Fundação, Eleição e posse da Diretoria da referida associação.

Dia: 30 de maio de 2012
Horário: 19:30 (término 21:00)
Local: Aquática Fisioterapia (Rua São João do Paraíso, 321 . Sion. Belo Horizonte/MG)
Informações: 31 3223-4887
Solicite a proposta de estatuto pelo e-mail (contato@aquaticafisioterapia.com.br) para análise e sugestões prévias.
Contamos com sua presença! Agora sim nossa associação é uma realidade bem próxima. Participe deste momento e faça parte da história!

16 maio 2012

Hospital Militar de MG tem piscina terapêutica

No final do ano passado (dez / 2011) o governador Anastasia inaugurou as novas instalações  do Hospital Juscelino Kubitschek de Oliveira da Polícia Militar (HPM).

"O ambulatório anexo conta com instalações modernas para a clínica de fisioterapia, incluindo estrutura para fisioterapia aquática, centro para cirurgias de pequeno porte, clínicas de psicologia e psiquiatria e setor de arquivo de prontuários. As obras foram iniciadas em 2008 e estavam previstas no planejamento estratégico do HPM. A intenção foi separar a área ambulatorial da área de internação hospitalar, o que demandou a construção de um edifício para reunir os consultórios das diversas especialidades."

Leia aqui o texto na íntegra.
Fonte: psdbminas.wordpress.com



Mais alguns hospitais (públicos) da capital mineira que têm piscina terapêutica:


Rede Sarah de Hospitais
Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB)

Você sabe de mais locais de acesso público à piscinas terapêuticas em Minas Gerais?

08 maio 2012

Matéria Estado de Minas - 22/04/12

Liberdade de Movimentos
Ao entrar em contato com a água, crianças e adultos com sequelas ou traumas experimentam ganhos psicológicos e a agradável sensação de flutuar. na piscina, pacientes retomam funções muitas vezes perdidas


Márcia Maria Cruz
Publicação: 22/04/2012 04:00

A artesã Aretuza Garibaldi, de 61 anos, não esquece o dia em que voltou a caminhar. Depois de três meses deitada para se recuperar de um trauma no quadril, os primeiros passos foram dentro da piscina. “As pessoas não fazem ideia do que é andar de novo, o que significa ficar em pé e sentir o próprio corpo. Quando consegui dar os primeiros passos, tive a sensação de que tudo ficaria bem”, diz. Ela mal podia acreditar que a dor desaparecera. As lágrimas foram inevitáveis. Na primeira sessão, mesmo não estando completamente recuperada, algumas das características da água foram fundamentais para que ela pudesse ter segurança para continuar o tratamento – a flutuação, que reduz o impacto nas articulações, já que dentro d’água algumas dores desaparecem.

Embora ainda não seja uma especialidade, a fisioterapia aquática ou hidroterapia ganha cada vez mais adeptos. O conjunto de técnicas pode ser prescrito como forma de recuperação para diferentes especialidades médicas, como ortopedia, geriatria, reumatologia, neurologia, neuropediatria, entre outras. Por essa razão, a hidroterapia é indicada para o tratamento de problemas nas articulações, coluna, quadril, bem como problemas degenerativos, como artroses, hérnias de disco; problemas inflamatórios, como artrites, artrites reumatoides; e problemas traumáticos, como fraturas e entorses.
Cada vez mais a hidroterapia tem sido procurada por pessoas com sequelas neurológicas, tanto adultos como crianças. Associada à fisioterapia clássica, ela contribui para retomar funções perdidas, bem como melhorar a qualidade de vida dos pacientes. “A terapia contribui para que os pacientes ganhem alongamento e força muscular. Por meio dela também trabalhamos o equilíbrio”, afirma a fisioterapeuta da Aquática Fisioterapia Michelle Pires. A clínica é especializada no atendimento de pacientes que ficaram com sequelas devido a acidentes vasculares cerebrais (AVC), traumatismo cranioencefálico (TCE), paralisias cerebrais e distrofias musculares. 

Giovana Linhares ensina Aretuza Garibaldi a flutuar, o que ajuda na redução de dores no quadril  ( Renato Weil/EM/D.A PRESS
)
Giovana Linhares ensina Aretuza Garibaldi a flutuar, o que ajuda na redução de dores no quadril

A água contribui para que crianças e adultos, que devido a sequelas neurológicas não conseguem sequer ficar sentadas, possam retomar essa função. “O mais interessante é que na piscina os pacientes executam funções e posturas que não são possíveis de ser realizadas fora d’água. O paraplégico consegue dar os primeiros passos, com algumas adaptações”, diz. 

Por ser um ambiente lúdico, a piscina é favorável para o tratamento de crianças, que fazem os exercícios como se estivessem brincando. A temperatura da piscina – em torno de 32 a 34 graus – contribui para melhorar os efeitos fisiológicos, bem como para o relaxamento muscular. “Outra característica da água é a analgesia. Ela contribui para reduzir as dores e também atua sobre a função renal e cardiovascular”, pontua Michelle. Como a pressão da água também altera a pressão arterial de quem entra na piscina, é preciso cuidado redobrado com pessoas que são hipertensas e fazem atividades aquáticas. 

É importante fazer a aferição antes, durante e depois de o paciente entrar na piscina. Michelle lembra que qualquer pessoa quando sai da piscina tem pico de pressão. No hipertenso, segundo ela, essa variação deve ser acompanhada, para que não haja nenhum prejuízo para a saúde do paciente.

AUTOESTIMA Os ganhos psicológicos advindos com a submersão também contribuem no tratamento. “A água serve como auxílio. Esse contato é muito positivo para a autoestima e a parte emocional do paciente”, pontua a fisioterapeuta Andrea Cristina Machado Pereira. As especialistas contam com uma série de ferramentas para auxiliar o trabalho, como flutuadores (boias, coletes cervicais, caneleiras de flutuação). Em alguns tratamentos é indicado que o paciente flutue. Em outros, é necessário dar a ele estabilidade. “A água é um meio muito instável. O paciente neurológico apresenta déficits de equilíbrio muito grandes. Temos que dar estabilidade a ele”, exemplifica Andrea.

Entrar na piscina é um momento de alívio para Maria da Conceição Sá Martins, de 80, que sofre há seis meses com dor lombar. Depois de ter se submetido a diversos tratamentos, a dor persistia e foi na fisioterapia aquática que ela vem se tratando, com resultados muito positivos. “Aqui dentro da piscina não sinto nada. A água é um alimento para o corpo. É como se estivesse tomando um remédio”, declara Maria da Conceição. Para a fisioterapeuta Giovana Macedo Linhares, é uma oportunidade que os pacientes têm de experimentar a liberdade de movimentos, que por diversas razões ficaram limitados

12 março 2012

1ª Conferência Europeia de Terapia Aquática Baseada em Evidências

Excelente iniciativa!
Dear Colleague,

We would like to invite you to read the 1st announcement_ call for abstracts and also to visit the website of 
ECEBAT: The 1st European Conference of Evidence Based Aquatic Therapy, 
March 2013 in Izmir / Turkey


The conference will include a scientific program with keynotes, short presentations, poster sessions. 
We will have a pre-conference program with practical workshops in Balçova Spa 
and a post-conference tour to the world famous Pamukkale.

The website offers the possibility to:
Register as a participant
To submit an abstract

We hope to welcome you and many other aquatic therapy professionals in order to share the current 
knowledge in our field and to expand aquatic therapy along the lines of evidence based clinical practice.

Johan Lambeck, 
Chair Cientific Committee

Baris Gürpinar,
Chair Organization Committee

05 outubro 2011

4 anos!

Nosso blog completa exatamente hoje 4 anos de existência.
É um momento de alegria e ao mesmo tempo de reflexão sobre o seu papel.
Este espaço nasceu da vontade da construção de um coletivo: fisioterapeutas do estado de Minas Gerais que trabalham, pesquisam, ensinam, enfim vivem a realidade da Fisioterapia Aquática.
Contudo penso, como todo blogueiro em um momento da sua existência digital, se não estou a falar sozinho, como escrevendo num diário dos velhos tempos. A ausência de comentários é sem dúvida desanimador, com disse um blogueiro amigo meu.
Porém, não posso deixar aqui de agradecer os poucos e importantíssimos colaboradores que energizam este espaço de tempos em tempos.
Gostaria sim que este espaço fosse menos meu e mais nosso, com a cara de todos os fisioterapeutas aquáticos.
Enfim, estou numa encruzilhada, ou melhor numa cancela: avançamos ou recuamos.



Com a palavra os leitores.
Abraços aquáticos,
Wellington F. Gomes

03 outubro 2011

Vídeo do cruso em BH (23 e 24 de setembro)

Segundo a professora Joyce o curso de Fisioterapia Aquáticas nas Disfunções Musculoesqueléticas foi um sucesso!
Veja o vídeo aqui.
video

Para fotos acesse o Site da clínica ou o Facebook.

26 agosto 2011

Pesquisa nacional no WPT e charmoso site de FA

Fonte: fisioaquaticafuncional.com.br
Pesquisadores do Brasil da área de Fisioterapia Aquática (FA) participaram do Congresso Mundial de Fisioterapia (World Physical Therapy – 2011) e destacaram:
"Observamos que existem poucas pesquisas na área de fisioterapia aquática,  sendo apresentados 3 pôsteres a respeito do tema. Além disso, dentre todas as sessões de palestras e discussões, ocorreu somente um networking para trocar experiências e conhecimento com profissionais que trabalham nessa área, do mundo todo".




Eles apresentaram um poster no evento. Baixe o poster e aproveite para conhecer o charmoso site.

19 agosto 2011

Diretrizes da OMS para uso de piscinas e similares.

Trata-se de um documento da OMS (Organização Mundial de Saúde) que dá diretrizes de avaliação de riscos e cuidados do uso do ambiente aquático recreacional mas que pode ser claramente usado nas piscinas terapêuticas, como nos riscos químicos e biológicos da atividade.
Quem sabe possa ser base para uma legislação brasileira sobre as condições de trabalho e os limites seguros para atuação dos fisioterapeutas nas piscinas.

Por exemplo:
Qual deve ser o procedimento padrão em caso de acidente fecal (ou vômito) em nossas piscinas?

Em caso de diarreia deve-se (página 92_tradução livre):
-retirar todas as pessoas imediatamente da piscina;
-tentar retirar (aspirar e eliminar) o máximo de material possível, lembrando de desinfetar os equipamentos em seguida (mangueira, etc.);
-fazer uma cloração máxima (cloração de choque);
-fechar a piscina por um dia visando a filtragem completa de toda a água (por seis vezes);
-lavar o filtro eliminando a água;
-verificar os valores de PH e cloro e aguardar a estabilização dos valores recomendados para a liberação da piscina;

Fezes sólidas tem tratamento diferente das fezes líquidas (diarreia e vômito) em virtude da presença potencial  de microrganismos patógenos.




3ª edição do livro "Comprehensive Aquatic Therapy"


Mais informações:
http://www.comprehensiveaquatictherapy.com/CAT3/Home_Page.html

Só para lembrar das outras edições:
 1ª edição 2ª edição

Acho que no Brasil paramos na primeira! Mas no site da Manole não encontrei este livro, que aqui se chama Terapia Aquática Moderna. Alguém tem outras informações?

Comente sobre livros de Fisioterapia Aquática aqui no blog!

Veja também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...